Terça-feira, 1 de Setembro de 2009
publicado por Rodrigo Adão da Fonseca em 01 Set 2009, às 18:11

Nos últimos quatro anos, com uma maioria absoluta, a governação socialista optou por consolidar as contas públicas pelo lado da receita, aumentando o peso do Estado na economia, não apenas em percentagem do PIB, mas também através de uma política de ingerência e dirigismo que distorce a concorrência, a igualdade de oportunidades e a liberdade económica. "Projectos PIN", "CGD", "Compal", "J.P. Sá Couto", "Magalhães", entre outras, são expressões que pelas piores razões nos recordam, infelizmente, como se pode governar em clara subjugação da economia à política.

 

O PSD defende um modelo económico que desonera as empresas, em especial, as PME, mas num plano de igualdade de oportunidades, com medidas transversais, que aproveitam a todos: a eliminação do PEC, o alinhamento da CGD ao serviço das PME's exportadoras, o seu acesso aos concursos de investimentos públicos de proximidade, a redução da TSU, ou a simplificação do reembolso do IVA, traduzem o compromisso de um partido que olha para a realidade sem demagogia, e que não quer fazer da Economia uma arma de arremesso político, ao serviço de agendas particulares. Votar neste PSD traduz-se, pelas razões que são conhecidas, numa escolha a favor da liberdade económica. E todos sabemos como a Economia e as empresas têm andado amordaçadas.
 

(texto publicado hoje no Diário Económico)


1 comentário:
De Zé dos Montes a 1 de Setembro de 2009 às 22:03
O PSD devia auditar os projectos PIN aprovados e reavaliar os que estão para ser aprovados.


Comentar post


Jamais - Advérbio. Nunca mais, outra vez não, epá eles querem voltar. Interjeição muito usada por um povo de dez milhões de habitantes de um certo cantinho europeu, orgulhoso do passado mas apreensivo com o futuro, hospitaleiro mas sem paciência para ser enganado, solidário mas sobrecarregado de impostos, com vontade de trabalhar e meio milhão de desempregados, empreendedor apesar do Estado que lhe leva metade da riqueza, face à perspectiva terrível de mais quatro anos de desgoverno socialista. Pronuncia-se à francesa, acompanhado ou não do vernáculo manguito.
Vídeo da Semana
autores
posts recentes

Valeu a pena dizer "Jamai...

...

A luta continua.

Até amanhã camaradas

Post final

O novo PSD

"Obrigado Manuela", segui...

Saudações democráticas

Parabéns ao PS

No dia 27, vamos todos vo...

últ. comentários
O Sôtor Elisio Maia fala assim porque depende do a...
ótimo blog, parabéns...
Realmente é o pais considerado como o pais do truq...
Conversa de urinol ..... caro boy PS!!!
Caro amigo anónimo, de facto encontro alguma razão...
meu caro amigo, não duvido das suas competências.....
está completamente certa. Mais... o 12º é pior, po...
nao faz a minima ideia de como existem formandos a...
Esta afirmação de Platão devia estar melhor docume...
Escandalizam-me reflexões como as do artigo da Sra...
mais comentados
links
arquivos

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

subscrever feeds