Sexta-feira, 18 de Setembro de 2009
publicado por Paulo Marcelo em 18 Set 2009, às 19:07

 

Leio o jornal Público diariamente há muitos anos, desde os tempos da faculdade. Não gosto, nem concordo com tudo, mas reconheço qualidade e independência. Amanhã de manhã apetece-me comprar o Público. Tal como esta noite queria poder assistir ao Jornal Nacional da TVI, daqui a cerca de uma hora. Espero que estas questões sejam esclarecidas. Espero que, a partir de 27 de Setembro, possa continuar a existir uma imprensa realmente livre e crítica do poder político em Portugal. Sem que que haja pressões ou telefonemas do Gabinete do Primeiro-Ministro. Sem que a correspondência privada entre jornalistas seja violada, não se sabe bem por quem. Sem medo de represálias para jornais ou televisões que ousem falar de temas incómodos como a "licenciatura" de José Sócrates, o caso Freeport ou as "escutas" em Belém.   


7 comentários:
De Elísio Borges Maia a 18 de Setembro de 2009 às 19:52
Eu sei que deve ter sido uma grande mágoa para vós ver publicada tão eloquente correspondência (http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1365657).
Apreciei especialmente o seguinte excerto:
«7- O Lima sugere e eu acho bem duas perguntas para inicio do trabalho (até porque a eles também lhe interessa que isto começa na Madeira para não parecer que foi Belém que passou esta informação, mas sim alguém ligado ao Jardim)
8- Perguntas sugeridas pelo Lima: Perguntar à dr. Helena Borges, chefe do gabinete do representante da república se o conhece e se é verdade que, no jantar oferecido pelo representante no Palácio de São Lourenço ele ficou na mesa dos assessores do PR (a gente já sabe que é verdade mas vamos fingir que não sabemos) e Porque ficou ele neste mesa sem antes ser dado conhecimento ao staff do PR. 2 Pergunta: Perguntar a Paulo pereira, responsável pela informação do gabinete do Jardim, em que qualidade o tal Rui Paulo foi convidado para o jantar que Jardim ofereceu no último dia na Quinta de Veiga.
[…]
12- Esta história só é do conhecimento do PR, do Lima, minha, do Zé Manuel Fernandes (que me pediu para não a contar a ninguém por enquento, mas que eu tenho que ta contar para tu te pores em campo com o conhecimento total do que estamos a falar). Peço-te por isso toda a discrição.»
É a isto que se referiam com a vossa série o país dos truques?


De Elísio Borges Maia a 18 de Setembro de 2009 às 20:16
Jardim, com a autoridade democrática que lhe reconheceu recentemente MFL, já pôs o dedo na ferida: “tal mais uma vez demonstra como se forjam as sucessivas mentiras em Lisboa acerca da vida pública nesta Região Autónoma”, reitera o governante (http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1365686).


De Teresa Reis a 1 de Julho de 2012 às 18:37
O Sôtor Elisio Maia fala assim porque depende do aparelho do Estadopara manter a vida que tem desde 2004.
Desde essaaltura anda à "mama" das nomeações.
Vá trabalhar.
Saiba que tem mais mania do que sabe...


De horacio a 18 de Setembro de 2009 às 21:24
Acabei de ver à pouco na Sic uma reportagem sobre o congelamento da avaliação do juiz Rui Teixeira.
É um acto vergonhoso da parte dos eleitos pelo PS para o Conselho Superior de Magistratura. É a partidarização total da justiça. Quem se mete com o PS leva. São as famosas palavras de Jorge Coelho levadas à letra.
É a siciliazação da justiça.
São estes socratistas pela liberdade?

Afinal quem é salazarento ?????????????


De Ricardo a 18 de Setembro de 2009 às 21:35
17 meses.


De trigueiral a 19 de Setembro de 2009 às 14:56
"sem que haja pressões do gabinete do primeiro-ministro"

Parece que se forem encomendas do "tio" Cavaco já são aceitáveis...


De amcslb a 19 de Setembro de 2009 às 15:10
parece que afinal os mails são reais e não foram obtidos pelos sis.
o tiro saiu-vos pela culatra.

o mais evidente desta bronca toda é que é o proprio pr que tenta criar um facto noticioso para prejudiar o governo.

shame on you mr silva


Comentar post


Jamais - Advérbio. Nunca mais, outra vez não, epá eles querem voltar. Interjeição muito usada por um povo de dez milhões de habitantes de um certo cantinho europeu, orgulhoso do passado mas apreensivo com o futuro, hospitaleiro mas sem paciência para ser enganado, solidário mas sobrecarregado de impostos, com vontade de trabalhar e meio milhão de desempregados, empreendedor apesar do Estado que lhe leva metade da riqueza, face à perspectiva terrível de mais quatro anos de desgoverno socialista. Pronuncia-se à francesa, acompanhado ou não do vernáculo manguito.
Vídeo da Semana
autores
posts recentes

Valeu a pena dizer "Jamai...

...

A luta continua.

Até amanhã camaradas

Post final

O novo PSD

"Obrigado Manuela", segui...

Saudações democráticas

Parabéns ao PS

No dia 27, vamos todos vo...

últ. comentários
O Sôtor Elisio Maia fala assim porque depende do a...
ótimo blog, parabéns...
Realmente é o pais considerado como o pais do truq...
Conversa de urinol ..... caro boy PS!!!
Caro amigo anónimo, de facto encontro alguma razão...
meu caro amigo, não duvido das suas competências.....
está completamente certa. Mais... o 12º é pior, po...
nao faz a minima ideia de como existem formandos a...
Esta afirmação de Platão devia estar melhor docume...
Escandalizam-me reflexões como as do artigo da Sra...
mais comentados
links
arquivos

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

subscrever feeds