Sexta-feira, 24 de Julho de 2009
publicado por Nuno Gouveia em 24 Jul 2009, às 10:31

 

Poucas promessas deram tanto que falar durante a campanha eleitoral de 2005. Em Janeiro desse ano, o então líder da oposição explicava que foram “150 mil empregos que perdemos em três anos e vamos recuperar em quatro". Vieira da Silva, ministro do Trabalho do actual governo, assegurava então que esse compromisso referia-se a "recuperar postos de trabalho destruídos nos últimos três anos", garantindo dessa forma baixar a taxa de desemprego.

 

Esta promessa, quando existiam cerca de 412 mil desempregados, terá representado um sinal de esperança para muitos que se encontravam nessa dramática situação. Os socialistas, tão obstinados em ganhar a qualquer custo, não se preocuparam com o facto de estarem a prometer o Céu. E por isso encheram Portugal com cartazes onde se acenava com a criação de 150 mil empregos. A triste verdade é que durante o mandato deste governo a taxa de desemprego apenas ocasionalmente desceu dos 400 mil desempregados.

 

Infelizmente a decepção e o logro são algumas das imagens de marca deste governo.  Deixo apenas uma questão: será que o PS vai voltar a espalhar pelas cidades e vilas de Portugal um cartaz a profetizar mais 150 mil empregos?

 


22 comentários:
De Tiago Moreira Ramalho a 24 de Julho de 2009 às 10:36
Nuno,

Eles nem diziam que iam criar. Diziam que iam recuperar! Pode parecer coisa pouca, mas faz toda a diferença.


De Pedro a 24 de Julho de 2009 às 10:44
Estou a constatar que neste blog a demagogia é barata.

Bem sabemos que a meta proposta pelo PS em 2005 pode ter sido bastante arriscada, mas chamar à colação em 2009 este debate, quando sabemos que se vive uma crise económica mundial desde Agosto de 2007 devido à crise do subprime, que se estendeu à banca e que tem varrido um pouco por todo o mundo muitos paises, é estar a usar 2 palas à frente dos olhos, e não querer olhar para o que verdadeiramente interessa.

Veja por exemplo o que se passa aqui ao lado em Espanha. País que antes da crise estava a crescer bastante, e que agora tem uma taxa de desemprego de quase 20%. É só o dobro da taxa registada em Portugal...


De Shota-Moscas a 24 de Julho de 2009 às 11:55
Usem e abusem...

http://www.youtube.com/watch?v=RGifIRPu7ew


De Rasgão a 24 de Julho de 2009 às 13:08
Nem mais, Pedro. Veja o gráfico que o Hugo Mendes publicou no Simplex http://simplex.blogs.sapo.pt/19226.html


De Joaninha a 25 de Julho de 2009 às 16:36
O gráfico do Hugo é muito complicado.
Como diria o Jô Soares, eles não prometem nada "não me comprometa!..."


De jeronimo a 24 de Julho de 2009 às 11:44
Vc acredita mesmo no Dr. Goebells !! Objectivo, não promessa. Está nos cartazes !!! Há uma grande diferença entre prometer ou garantir e estabelecer uma meta.
Já agora, antes do abalozinho já tinham sido criado 119000. Mas isto não interessa nada, pois não ? Nem o estado de desemprego noutros países. Olhe a Espanha por exemplo, como estava em termos de desemprego em 2005 e como está hoje.
Tente criticar sem ser desonesto !!! Vai ver que consegue...


De Hugo Mendes a 24 de Julho de 2009 às 13:03


De Nuno Gouveia a 24 de Julho de 2009 às 13:20
Agradeço todos os comentários. Apenas recordava que o blogue regista os Ips, e por isso sabemos quem comenta com nomes diferentes... :)

Sobre o post do simplex. Eu percebo que se queira atirar areia para os olhos das pessoas, dizendo o contrário daquilo que foi prometido na campanha eleitoral. Até chegaram a dizer que isso não era uma promessa, mas sim um objectivo... Como se espalhar cartazes pelo país com o número 150 mil não fosse uma promessa..

O problema é que a taxa de desemprego com este governo nunca baixou, e antes da crise nunca foi sequer realista considerar que essa recuperação milagrosa dos 150 mil empregos perdidos pelos governos PSD nunca iria ser cumprida.

E acho estranho que o Hugo refira os 37 mil empregos perdidos nos governos do PSD/CDS. É que José Sócrates em Janeiro de 2005 falava em 150 mil empregos. Será que o Hugo Mendes está a dizer que Sócrates mentia em 2005?


De Hugo Mendes a 24 de Julho de 2009 às 13:25
Não, Nuno, não se trata de mentir ou de não mentir. Trata-se de estabelecer metas e procurar atingi-las.

No fundo, talvez fosse mais fácil dizer ao PS que pretendia apenas fazer melhor que o PSD; era bastante mais fácil. Mas há quem goste de manter os níveis de exigência um pouco mais elevados.


De Nuno Gouveia a 24 de Julho de 2009 às 13:36
Hugo,
Fiz uma citação de José Sócrates onde este afirmava que os governos psd/cds tinham perdido 150 mil empregos. Tu dizes que afinal foram apenas 37 mil. Isso então é o que?


De Hugo Mendes a 24 de Julho de 2009 às 13:27
Já agora, não há nada no cartaz sobre a taxa de desemprego. Como sabes, pode ser criado emprego e a taxa de desemprego, afinal, subir.
Como sabes, nenhum governo do mundo democrático controla a taxa de desemprego, pela simples razão que não controla totalmente a economia.



De Nuno Gouveia a 24 de Julho de 2009 às 13:39
Mas isso também diz algo da génese desta proposta do PS: enganar os portugueses. Ou achas que a esmagadora maioria dos portugueses, quando via aquele cartaz nas ruas, e em consonância também com o discurso de JS, pensava em que? Que o PS prometia 150 mil empregos, mas que afinal, a taxa de desemprego podia continuar elevada e até subir? (como aconteceu)



De Hugo Mendes a 24 de Julho de 2009 às 13:45
Isso da interpretação do cartaz tens de perguntar aos "portugueses". Podem mesmo criar uma rubrica chamada "cobrador da inteprtação" :).
Mas assinalo que não tenhas uma palavra a dizer que o facto que o gráfico descreve. E o que ele descreve é a muito superior performance do Governo PS neste indicador.


De Pedro Miguel a 12 de Agosto de 2009 às 20:07
Hugo,
Respondendo ao teu repto ao que prefiro designar como uma divergência semântica ao invés de um insulto à inteligência, eu com toda a franqueza interpretei que a promessa feita correspondia ao saldo entre empregos perdidos e empregos criados. Aliás, fazia sentido anunciar apenas 150K novos empregos como se fosse uma grande coisa se não fosse assim? Sabe por acaso quantos novos postos se criam todos os anos? É multiplicar por 4.

E qual é a conversa de que é impossível fazer uma promessa sobre a taxa de desemprego? Está-me a tentar convencer de que é possível tomar medidas para criar emprego mas é impossível tomar medidas para o manter? Os instrumentos não são quase os mesmos?

Mas já agora lanço um repto a si e aos senhores do marketing do PS: coloquem nos cartazes informação ao estilo "produtos de crédito". Assim ninguém pode acusar os "pobres injustiçados e incompreendidos" do PS de falta palavra. Digam: Vamos criar 150 K novos empregos e vamos perder X.

Pela argumentação usada, interpretar uma promessa de José Sócrates é igual a ler um contrato de seguros. É preciso estar atento ás subtilezas (não quero falar em letras pequeninas) .

Pessoalmente, gosto de um bom debate, mas atinjo o nível de fúria quase socrática quando me insultam a inteligência.


De Hugo Mendes a 24 de Julho de 2009 às 16:15
Entretanto, mais dados interessantes aqui: http://simplex.blogs.sapo.pt/20737.html


De Rasgão a 24 de Julho de 2009 às 18:13
Cada vez estou mais convencido que estes tipos do PSD não percebem patavina de estatísticas de Emprego. Este post que o Miguel Noronha refere, e os comentários que lá aparecem, então, são de uma ignorância assustadora.


De Jorge F. a 24 de Julho de 2009 às 18:05
Quanto ao crescimento do desemprego, há que ter atenção à segunda derivada (http://www.youtube.com/watch?v=_dc9lbWwUMw). LOL


De AindaPiorBlog a 26 de Julho de 2009 às 14:01
Se não forem traçados objectivos ambiciosos, o país não anda para a frente. Aposto que até foram criados mais de 150000 novos empregos neste últimos 4 anos, mas devido à crise, o número de desempregados foi muito maior, dando origem a um saldo negativo. Já alguém fez essas contas?


De Pedro Miguel a 12 de Agosto de 2009 às 20:11
Já. A taxa de desemprego era maior há um ano do que Março 2005. Seja como for, esse é mais uma vez um sofisma gigante. Por essa ordem de raciocínio, para cumprir essa promessa bastaria despedir 150000 pessoas e voltar a contrata-las. Vantagem para a economia? Zero. Não acredito que o PS fosse fazer uma promessa que na prática não se traduzisse numa clara vantagens para a economia Portuguesa. (ironia)


De Lady a 24 de Agosto de 2009 às 03:16
Concursos Públicos diariamente( policia federal,detran)

Fox Empregos - Concursos e Orientação Profissional (http://www.foxempregos.blogspot.com)


De Lady a 24 de Agosto de 2009 às 03:17
conheço um ótimo site de empregos.
Concursos Públicos diariamente( policia federal,detran)

Fox Empregos - Concursos e Orientação Profissional (http://www.foxempregos.blogspot.com)


Comentar post


Jamais - Advérbio. Nunca mais, outra vez não, epá eles querem voltar. Interjeição muito usada por um povo de dez milhões de habitantes de um certo cantinho europeu, orgulhoso do passado mas apreensivo com o futuro, hospitaleiro mas sem paciência para ser enganado, solidário mas sobrecarregado de impostos, com vontade de trabalhar e meio milhão de desempregados, empreendedor apesar do Estado que lhe leva metade da riqueza, face à perspectiva terrível de mais quatro anos de desgoverno socialista. Pronuncia-se à francesa, acompanhado ou não do vernáculo manguito.
Vídeo da Semana
autores
posts recentes

Valeu a pena dizer "Jamai...

...

A luta continua.

Até amanhã camaradas

Post final

O novo PSD

"Obrigado Manuela", segui...

Saudações democráticas

Parabéns ao PS

No dia 27, vamos todos vo...

últ. comentários
O Sôtor Elisio Maia fala assim porque depende do a...
ótimo blog, parabéns...
Realmente é o pais considerado como o pais do truq...
Conversa de urinol ..... caro boy PS!!!
Caro amigo anónimo, de facto encontro alguma razão...
meu caro amigo, não duvido das suas competências.....
está completamente certa. Mais... o 12º é pior, po...
nao faz a minima ideia de como existem formandos a...
Esta afirmação de Platão devia estar melhor docume...
Escandalizam-me reflexões como as do artigo da Sra...
mais comentados
links
arquivos

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

subscrever feeds