Quarta-feira, 12 de Agosto de 2009
publicado por Nuno Gouveia em 12 Ago 2009, às 15:38

Num excelente artigo assinado hoje no “i”, o presidente do Instituto Francisco Sá Carneiro expõe a propaganda que o PS tem vindo a inundar as páginas dos jornais portugueses sobre a sua politica económica. Recorrendo a estatísticas indesmentíveis, Relvas traça o diagnóstico real da governação socialista dos últimos quatro anos.

 

Recordo apenas uma das promessas falhadas de Sócrates em 2005, quando prometeu que com ele a liderar o governo, o país iria crescer acima da média europeia, mas a realidade desmentiu (mais uma vez) a promessa socialista. Portugal nestes últimos quatro anos cresceu sempre abaixo da média comunitária, facto esse que se arrasta desde a governação Guterres.

 

Os indicadores económicos são desfavoráveis a Sócrates, e talvez por isso, como relembra Alexandre Relvas, o governo pretende desviar a atenção para outros assuntos. Um dos actos mais indignos que um governo pode assumir é pretender enganar os eleitores, manipulando a realidade a seu favor. Uma das tarefas da oposição é desmontar essa propaganda. Foi isso que Relvas fez hoje, baseando o seu discurso na amarga realidade portuguesa.


3 comentários:
De assis a 12 de Agosto de 2009 às 19:02
desonestidade intelectual pura do mourinho do cavaco. todos (mas todos!) os países viram os seus indicadores das contas públicas degradarem-se devido a uma coisa que se designou por crise internacional (ouviram falar?). se querem ser sérios, comparem esses indicadores para portugal com os indicadores correspondentes para a média da zona euro e depois poderão falar. já que não têm grande coisa a propor , resta-vos acreditar firmemente que vos saiu o euromilhões em forma de crise internacional.


De Nuno Gouveia a 12 de Agosto de 2009 às 19:10
Tenho por hábito não comentar anónimos. Mas como este comentário é tão ridículo....

Se tivesse lido o artigo (se calhar nem leu no online) na edição em papel, veria que os cinco gráficos que lá estão colocados mostram a evolução dos diversos dados em análise: Endividamento Externo, Crescimento do PIB, Défice Externo, Défice e Dívida Pública. Se tivesse visto os gráficos poderia ver que a performance do país nestes últimos quatro anos esteve sempre longe do prometido por Sócrates em 2005. E isso nada tem a ver com a crise. Esta apenas acentuou a má performance económica do país...


De Mantra a 12 de Agosto de 2009 às 19:28
ummm... esse assis cheira-me a diana m.
sao as mesmas macaquices que estao no simplex


Comentar post


Jamais - Advérbio. Nunca mais, outra vez não, epá eles querem voltar. Interjeição muito usada por um povo de dez milhões de habitantes de um certo cantinho europeu, orgulhoso do passado mas apreensivo com o futuro, hospitaleiro mas sem paciência para ser enganado, solidário mas sobrecarregado de impostos, com vontade de trabalhar e meio milhão de desempregados, empreendedor apesar do Estado que lhe leva metade da riqueza, face à perspectiva terrível de mais quatro anos de desgoverno socialista. Pronuncia-se à francesa, acompanhado ou não do vernáculo manguito.
Vídeo da Semana
autores
posts recentes

Valeu a pena dizer "Jamai...

...

A luta continua.

Até amanhã camaradas

Post final

O novo PSD

"Obrigado Manuela", segui...

Saudações democráticas

Parabéns ao PS

No dia 27, vamos todos vo...

últ. comentários
O Sôtor Elisio Maia fala assim porque depende do a...
ótimo blog, parabéns...
Realmente é o pais considerado como o pais do truq...
Conversa de urinol ..... caro boy PS!!!
Caro amigo anónimo, de facto encontro alguma razão...
meu caro amigo, não duvido das suas competências.....
está completamente certa. Mais... o 12º é pior, po...
nao faz a minima ideia de como existem formandos a...
Esta afirmação de Platão devia estar melhor docume...
Escandalizam-me reflexões como as do artigo da Sra...
mais comentados
links
arquivos

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

subscrever feeds