Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jamais

Jamais

03
Ago09

As Listas de deputados - Pão e Circo

Sofia Rocha

Das listas do PS à AR, já conhecemos os casos. No PSD as listas ainda não são conhecidas. Estes casos na política, como no futebol, vendem jornais e publicidade nos intervalos dos noticiários (os noticiários agora têm intervalos), por maioria de razão até quando mostram umas carinhas larocas. Todavia, não fazem mais do que nos distrair do essencial: a qualidade dos nossos deputados.

Esta foi a legislatura em que vimos o Presidente da República a queixar-se publicamente da fraca qualidade das leis, em que o Procurador da República explicou onde não se punham as vírgulas.

Como cidadã, exijo deputados competentes tecnicamente, comprometidos com o interesse nacional, interessados em contribuir para resolver os problemas do país e dos portugueses.

Hoje o DN publica um artigo intitulado " 21% dos deputados à Assembleia não terminaram mandato". O DN mostra-nos que estes deputados fizeram da AR uma lucrativa plataforma giratória para os negócios privados e para os altos cargos públicos.

Os estudos mostram-nos que os cidadãos têm os políticos em muito má conta: os partidos políticos têm de interpretar esse sentimento e não persistir nos erros que nos conduziram até aqui. Queremos deputados que sirvam o país e não os que se servem a si próprios.

 

( Adaptado de um texto também publicado hoje aqui )

2 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Jamais - Advérbio. Nunca mais, outra vez não, epá eles querem voltar. Interjeição muito usada por um povo de dez milhões de habitantes de um certo cantinho europeu, orgulhoso do passado mas apreensivo com o futuro, hospitaleiro mas sem paciência para ser enganado, solidário mas sobrecarregado de impostos, com vontade de trabalhar e meio milhão de desempregados, empreendedor apesar do Estado que lhe leva metade da riqueza, face à perspectiva terrível de mais quatro anos de desgoverno socialista. Pronuncia-se à francesa, acompanhado ou não do vernáculo manguito.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D